27 de março de 2005

Fim de caso

Acordo e olho para a direita. Observo que a Natalie Portman continua deitada do meu lado. Sua boca está meio entreaberta e sua bochecha direita está sendo amassada pelo contato com a cama. Um filete de saliva sai de sua boca e mancha o lençol. Neste momento reparo que esta criatura que está deitada na minha cama, deixou de ser aquela deusa de outrora, e passou a ser apenas uma mulher que está manchando meu lençol com sua baba.

A Natalie Portman acorda momentos depois. Ela olha para mim e me pergunta o que está acontecendo. Aí eu respondo que não está acontecendo nada. "Você deixou de me amar, né?", insiste ela. Então eu digo que é claro que não, mas é mentira. E de alguma forma, ela sabe disto. As mulheres são boas nisto. Ela começa a chorar e nós nos abraçamos. Depois de algum tempo estamos fazendo amor, provavelmente pela última vez.

Foi uma merda, até mesmo porque ela não escovou os dentes e estava com mau-hálito matinal. Ela recomeça a chorar. Tento confortá-la, mas ela me repele. "Você estava pensando nela, não estava?", ela me acusa. Tenho que bancar o cínico, pergunto do que ela está falando. Ela continua, "Você estava pensando naquela vaca da Scarlett Johansson!". Putz, não consigo mentir para mulher, pelo menos não por muito tempo. Digo que sim. Pela terceira vez nesta manhã, as lágrimas escorrem de seus olhos.

Em pouco tempo ela já está vestida e arrumando suas malas. Enquanto a Natalie vai jogando as roupas dentro das malas, ela fica falando que vai voltar para a casa da mãe. Tenho uma estranha sensação de dejá vu. Me lembro de Kristin Scott Thomas, Sarah Polley, Keira Knightley e até da Megan, aquela loirinha que apresentava o planeta solitário no people and arts. Todas elas me deixaram assim que descobriram que eu já não pensava mais nelas como costumava fazer. Sou trazido de volta à realidade pelos gritos da Natalie. Ela fica perguntando o que a Scarlett tem que ela não tem. Eu fico tentado a dizer que a Scarlett tem muito mais peito, mas me contenho. "Aquilo tudo é silicone!", grita ela. Parece até que ela adivinhou os meus pensamentos. Natalie começa a guardar em uma sacola todas as roupas da rainha Amidala. "Por acaso ela já foi indicada ao Oscar? Claro que não, mas eu fui!!" Acho que ela está começando a jogar sujo. Ela começa a rir, mas ela ri meio que chorando e debocha, "Por acaso ela estuda em Harvard como eu ?" . Agora chega. Falo que a Scarlett não estuda em Harvard, mas pelo menos não fez aquela merda de Episódio 1 e não teve que contracenar com o Jar Jar Binks.

Acho que isto foi a gota d'água. Ela quer me matar, mas ao invés disto apenas sai e bate a porta.

Na semana seguinte, a Scarlett Johansson se muda para cá, passando a ocupar meus pensamentos em tempo integral. A voz rouca dela é realmente muito sexy em comparação com a voz infantil da Natalie Portman. Fazemos sexo selvagem todos os dias e é maravilhoso. Só que um dia eu reparo que seus seios grandes já estão meio caídos.

Neste momento, eu sei que em algum lugar, Kristin Scott Thomas, Sarah Polley, Keira Knightley, Megan (a loirinha do planeta solitário)e a Natalie Portman estão rindo de mim.

Elas me acham patético.


0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial