19 de março de 2005

O homem que via fracassados


Um homem entrou no consultório de um médico e disse... Eu sei que esta provavelmente é a pior maneira de se começar uma história, já que ela fica com uma cara de anedota, mas esta é a melhor maneira de se narrar os acontecimentos daquela segunda-feira, visto que foi o único evento excepcional que aconteceu naquele dia. Afinal, a maioria das segundas-feiras são extremamente modorrentas, assim como os domingos que as precedem. Então, desculpem-me, mas começo a história assim mesmo.

Era uma segunda-feira como outra qualquer, um homem entrou no consultório de um médico e disse:

- Doutor, eu vejo fracassados!

- Cuméquié!? – Esta expressão certamente não reflete o grau de instrução do médico em questão, mas foi a única coisa que ele conseguiu falar após ouvir algo tão inusitado.

- É isto mesmo que você ouviu, doutor. Eu vejo fracassados em qualquer lugar, toda hora. Posso estar comendo, no chuveiro, trabalhando, não consigo evitar, mesmo quando fecho os olhos eles estão lá. Eles simplesmente estão lá!

Ao ouvir tudo aquilo o médico pensou, “Caraca, estas coisas só acontecem comigo”, em seguida respirou fundo e disse:

- Meu senhor, olha só... Já atendi gente que vem aqui dizendo que está sentindo borboletas no estômago, febre na barriga... Até já atendi um garoto que dizia que via gente morta... Mas, fracassados? Que diabos é isso?

- Olha, sei que o doutor ia me achar maluco se eu falasse isto. É meio complicado mesmo, mas agora mesmo, neste momento que eu estou falando com o senhor, eu estou vendo fracassados nesta sala.

- Aqui? Agora? – Perguntou o incrédulo médico – E o senhor pode me dizer onde eles estão e o que estão fazendo?

- Bom, tem um fracassado aí do seu lado agorinha mesmo. É um dos fracassados clássicos, o tipo que eu mais vejo, ele está enchendo a cara num bar porque perdeu a família e o emprego, algo assim do gênero. Quando eu estava lá na sala de espera, tinha uma garota que estava em casa, esperando um telefonema de um cara que nunca vai ligar, uma fracassada romântica. Quando eu estava vindo para cá, eu vi três adolescentes que passavam todas as noites de sábado jogando videogames, eram fracassados nerds.

O médico ficou surpreso de ter conseguido ouvir aquela baboseira até o fim. Ele começou então a interrogar o pobre homem, querendo saber mais detalhes. Se ele estava tomando algum medicamento, se consumia drogas ou álcool e todas estas coisas. Diante das respostas negativas do seu paciente, só lhe restou dizer:

- Meu senhor... eu sou só um clínico geral e portanto posso não ser o especialista mais indicado para tratar de sua condição. Mas, eu vou pedir um exame de ressonância magnética de seu cérebro e vou mandar o resultado para um especialista para ver se conseguimos detectar alguma coisa. Agora, me faz um favor, vai pra casa, descansa um pouco, que isso tudo pode ser apenas stress.

Uma semana depois, o médico recebeu os exames e ligou para um amigo seu que era neurologista. Ouviu algo que já esperava, não havia nada de errado com o paciente. No dia seguinte, o homem-que-via-fracassados estava de volta ao seu consultório.

- Esta semana eu vi um homem que devia ter uns 37 anos... Ele ainda é virgem e viaja até outra cidade para comprar fitas pornôs nas bancas de jornais. – Ele dizia tudo isto com um ar resignado.

O médico lhe indicou um neurologista (aquele que era seu amigo) e também um psiquiatra. Não achava que o homem fosse maluco, mas simplesmente não sabia mais o que podia fazer. O neurologista e o psiquiatra ligariam dias depois, dizendo que não conseguiam estabelecer nenhum diagnóstico para o sujeito. As semanas passaram e o homem-que-via-fracassados continuava visitando o médico. A cada consulta ele contava sobre suas visões, “Hoje, eu vi um garoto sendo humilhado pelos colegas na aula de educação física”. “Teve um cara que chegou ao extremo. Ele não aguentou e tentou se matar, mas não conseguiu, agora está numa cadeira de rodas.” Pequenas tragédias do cotidiano. Aos poucos, o médico começou a se afeiçoar por elas, tanto que não deu ao homem-que-via-fracassados o telefone de uma psicóloga que ele conhecia. Queria todas estas histórias só para ele. Chegou ao ponto de desmarcar consultas para receber o homem-que-via-fracassados. Até que foi atingido pela culpa. Não estava ajudando o seu paciente, mas apenas encorajando seus delírios. Decidiu que iria pôr um fim em tudo aquilo. Procurou os melhores psicólogos, psiquiatras, neurologistas e iria deixar que eles tomassem conta do homem-que-via-fracassados. Quando ele apareceu no consultório, o médico foi sincero, contou-lhe tudo e disse que não podia fazer mais nada por ele, mas que não era por isso que ele deveria perder as esperanças.

O homem-que-via-fracassados olhou para o médico e disse:

- Doutor, eu tentei explicar isto para você desde que eu vim aqui pela primeira vez, mas eu não consegui. Se alguém aqui precisa de ajuda, este alguém é você. E se alguém aqui pode ajudá-lo,este alguém sou eu.

O médico começou a rir. Perguntou entre gargalhadas:

- E que tipo de ajuda eu preciso, posso saber? E como você, dentre todas as pessoas do mundo, poderia me ajudar?

- Doutor, quando eu comecei a ver estas pessoas, você foi a primeira que me apareceu. Você tem que esquecê-la. Ela não vai voltar para você. Nunca mais.

Dito isto, o homem-que-via-fracassados se levantou e foi embora. Nunca mais apareceu no consultório.

O médico começou a chorar. De repente, tudo havia se tornado claro.

- Glória. Glória, por que você me deixou? Eu sempre fiz tudo por você...


Então ele se lembrou daquela música. Era a música que ela havia escolhido para ser a música deles. “A nossa música”, pensou ele. Aquelas coisas que todo casal de namorados faz quando está apaixonado. Na época ele não conseguiu entender porque ela escolheu justo aquela música, já que a letra não lhe parecia nada romântica.

Agora ele sabia perfeitamente.


Did I say that I loathe you?
Did I say that I want to Leave it all behind?
I can't take my mind off of you
I can't take my mind off you
I can't take my mind off of you
I can't take my mind off you
I can't take my mind off you
I can't take my mind...My mind...my mind...
'Til I find somebody new

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial